Você está interessado na Saúde do Distrito Federal?

Ótimo! Então acesse também: saudenodfblog.wordpress.com 

Anúncios

De mudança…

Encerro aqui minha participação como gestor deste blog. Nada pessoal. Apenas não acho razoável utilizar, apenas como indivíduo,  um espaço que é (ou deveria ser) grupal. A partir do dia 01/04/2018 estarei operando meu próprio blog, denominado saudenodfblog.wordpress.com. Nele, continuarei publicando material referente ao tema da saúde no Distrito Federal, além de assuntos correlatos, também no plano nacional – sempre que possível de forma analítica e comentada. Aos amigos do Observatório da Saúde do DF comunico que, se não se opuserem, poderei continuar a municia-los do que for publicado em meu novo espaço, da mesma forma que ofereço o espaço para as contribuições dos mesmos, sejam individuais ou grupais. Abraços a todos que acreditam que a saúde no Distrito Federal tem jeito! Encontro vocês no meu novo endereço: saudenodfblog.wordpress.com. FLAVIO GOULART

 

Participação e Panaceia…

Nestes tempos de Temer e temor, o tema de Participação Social anda meio recolhido na última prateleira do armário do SUS. Mas há quem ainda se preocupe com ele… Por exemplo, o Fórum Social Mundial da Saúde e Seguridade Social, realizado na Universidade Federal da Bahia, em Salvador (BA), nos primeiros dias de março de 2018, no qual o conselheiro nacional de saúde, Geordeci de Souza, apresentou e debateu as experiências do que se denomina “controle social” no Brasil, propondo estratégias de unificação e perspectivas a partir do atual cenário de redução de orçamento nas políticas de saúde, lembrando ainda que o Sistema Único de Saúde (SUS) surgiu como fruto de muita luta e participação social, há três décadas, durante a 8ª Conferência Nacional de Saúde. E arremata, entre orgulhoso e triunfalista, como convém aos bons militantes da causa: “É o maior sistema público de saúde do mundo, mesmo assim estamos sofrendo vários ataques”. Continuar lendo

Práticas integrativas e complementares no SUS: quando a esmola é demais…

Anuncia o Ministério da Saúde que o SUS passará a oferecer nada menos do que 29 procedimentos das chamadas Práticas Integrativas e Complementares (PIC), incrementando em uma dezena aquelas anteriormente disponíveis. As novas ofertas se darão em: apiterapia, aromaterapia, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, geoterapia, hipnoterapia, imposição de mãos, ozonioterapia e terapia de florais. Disse o Ministro (e candidato) Ricardo Barros: “O Brasil passa a contar com 29 práticas integrativas pelo SUS. Com isso, somos o país líder na oferta dessa modalidade na atenção básica. Essas práticas são investimento em prevenção à saúde para evitar que as pessoas fiquem doentes. Precisamos continuar caminhando em direção à promoção da saúde em vez de cuidar apenas de quem fica doente”. Bem, esta tão decantada “liderança” brasileira às vezes se dá em quesitos menos publicáveis, também…  Continuar lendo

Redução de salários para médicos (não foi no Brasil claro…)

Vejo na imprensa que em certo país as entidades médicas estão solicitando ao governo que os salários da categoria sejam equiparados entre as demais regiões do país, não no sentido de ganharem mais, mas menos… Trata-se de um sistema de gestão pública e descentralizada, semelhante ao SUS. O governo havia anunciado aumentos salariais para quase 20.000 médicos, com 1,4% a mais para os especialistas e 1,8% para os clínicos gerais. Mas as autoridades voltaram atrás, pois poucas medidas governamentais foram tão impopulares nos últimos anos como esses reajustes. O assunto repercutiu na mídia, com veemência, por razões diversas, entre outras, a de que o sistema de saúde apresenta sérias dificuldades em aspectos como emergências, condições trabalhistas e restrições ao atendimento domiciliar, em decorrência de contenção de despesas. Pois acreditem: até mesmo um número expressivo de médicos veio a público para criticar o aumento salarial. Isso, é claro, não aconteceu no Brasil, mas sim no Canadá. E argumentaram os doutores de lá: “Estes aumentos são ainda mais impactantes porque o nosso pessoal de enfermagem, auxiliares e outros profissionais enfrentam condições de trabalho muito difíceis, enquanto nossos pacientes convivem com a falta de acesso aos serviços necessários devido aos cortes drásticos dos últimos anos […]. Pedimos que os aumentos salariais concedidos aos médicos sejam anulados e que os recursos do sistema sejam mais bem distribuídos, pelo bem dos trabalhadores da saúde e para assegurar serviços dignos à população do Québec”. Saiba mais. https://brasil.elpais.com/brasil/2018/03/12/internacional/1520879273_596104.html 

Regulamentação de aplicativos de atendimento médico: já não era sem tempo

Vejo na mídia (05/03/2018) que o Conselho Federal de Medicina resolveu regulamentar o atendimento médico em casa contratado por meio de aplicativos de celulares. Tal tecnologia tem forte potencial para mudar as modalidades tradicionais de conectar médicos e pacientes. Através de tais aplicativos, o paciente se cadastra e procura a consulta por especialidade médica, com ofertas de profissionais em termos de localização e valor da consulta. Clicando em um botão, a agenda do profissional é disponibilizada e, uma vez feita a escolha, é só aguardar a vinda do profissional em casa.

Continuar lendo

De uma caixa vazia o que pode sair?

O site Outra Saúde, já recomendado aos leitores aqui neste blog, trouxe matéria, ou melhor, entrevista com três economistas, especialistas em financiamento da saúde. O assunto em pauta foi uma recente portaria do Ministério da Saúde (Portaria 3.992, de 28 de dezembro pp) que muda o modo como os recursos federais para a área são repassados aos estados e municípios, além de afrouxar, até certo ponto, as regras para os gastos. A mudança principal é a de que, o dinheiro antes atrelado a áreas específicas, como atenção básica e assistência farmacêutica, entre outras, agora, não é mais. Continuar lendo

Conferências de Saúde: o mais do mesmo e o novo

A mídia relata, é bem verdade que de maneira bastante discreta (na verdade apenas a Carta Maior se manifestou), que Brasília estará sediando neste mês de fevereiro de 2018 mais uma Conferência Nacional de Saúde, desta vez tendo como tema a Vigilância em Saúde. O evento conta com o patrocínio direto da Anvisa, agência nacional voltada para a área de vigilância sanitária.

As conferências de saúde, que já contaram até mesmo com a presença de Presidentes da República, como Sarney, Lula e Dilma, pareciam estar entrando em regime de baixa estação, nestes novos tempos temerianos. Mas eis que ressurgem… Continuar lendo

Um novo (e necessário) site em saúde

O site Outras Palavras, dedicado ao jornalismo político no campo da esquerda brasileira, anuncia um brotamento especializado em saúde pública, sob responsabilidade das jornalistas Maíra Mathias e Raquel Torres. Outra Saúde, de emissão semanal, publicará ao menos uma reportagem de produção própria, que ajude a destrinchar questões atuais e polêmicas, entre outras, as agruras do SUS; os riscos de privatização e a resistência da população e do setor; os percalços dos usuários dos planos privados; as disputas no Congresso e no Judiciário. Os primeiros textos já estão no ar. Leia adiante… Continuar lendo

Em busca de boas experiências em saúde

Marcos Pestana, Deputado Federal pelo PSDB de Minas Gerais é pessoa muito respeitada quando o assunto é saúde. Ele foi Secretário de Saúde em Minas em dois mandatos, talvez o mais jovem que tenha assumido a pasta, e sua atuação parlamentar tem se pautado pela defesa do SUS e da atuação pública nas políticas sociais em geral. Neste artigo, publicado no periódico eletrônico Congresso em Foco ele analisa o Acordo de Cooperação Técnica com os governos espanhol e português, firmado pela Câmara dos Deputados, visando a troca de experiências sobre a gestão dos respectivos sistemas de saúde. E ele acentua: “em boa hora, porque a política brasileira tem andado mais perto dos constantes casos de corrupção, e mais distante daquilo que interessa a todos: a melhoria da qualidade de vida a partir de políticas públicas consistentes”. Leia a matéria completa no link a seguir: http://m.congressoemfoco.uol.com.br/opiniao/colunistas/o-aprendizado-permanente-nas-politicas-de-saude/?utm_source=CongressoemFoco&utm_campaign=36a85c237d-EMAIL_CAMPAIGN_2018_02_16&utm_medium=email&utm_term=0_96c738fd51-36a85c237d-171753201

Pedro Tauil: este tem o que dizer!

Com grande satisfação, registramos e divulgamos aqui a participação do Prof. Pedro Luiz Tauil, membro do Observatório da Saúde do DF, no projeto 2022: o Brasil que queremos. No vídeo ele aborda, com propriedade, temas tão diversos como formação médica, políticas de controle de endemias e, particularmente, febre amarela. Não percam. Assistam o vídeo no link a seguir:
https://www.youtube.com/watch?v=r0MYYBNGOXg&index=1&list=PL9IsItk2XEKRqtfr7DWz4_jguc0vW6ZGN

Por que este blog não está no Facebook?

Como um blog especializado em saúde, interessado na divulgação de ideias, tudo o que queremos ter é leitores. De preferência, leitores ativos e participantes. O terreno em que disputamos este nobre personagem – Sua Excelência, o Leitor – todavia, é muito populoso e disputado. Alguns nos sugerem: postem suas mensagens também no Facebook, a famosa rede social que hoje em dia virou praticamente sinônimo de internet. Temos nos recusado e pretendemos nos manter afastados disso. Querem saber o por quê? Continuar lendo

Mais médicos (e não mais do mesmo…)

A OPAS acaba de divulgar estudo produzido por especialistas brasileiros, avaliando o programa Mais Médicos. Em resumo, eles afirmam que embora ocorram diferenças no padrão de atenção dos médicos oriundos de Cuba, que são maioria no programa, foram destacados pela população o compromisso com a população, a empatia, o respeito e o humanismo com que estes profissionais tratam os pacientes. Saiba mais… http://iris.paho.org/xmlui/handle/123456789/34585

Demorou…

O Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a obrigação de planos de saúde reembolsarem o Sistema Único de Saúde (SUS) quando os clientes realizarem tratamentos na rede pública. Mais cedo, nesta quarta, o STF também validou a lei que obriga os planos de saúde a informar aos clientes sobre os motivos de atendimentos terem sido negados. O ressarcimento está previsto numa lei de 1998 que regula os planos de saúde, mas vinha sendo contestado na Justiça por entidades do setor. A decisão do STF põe fim à controvérsia, obrigando os demais tribunais a seguirem o entendimento.

Saiba mais… https://g1.globo.com/politica/noticia/stf-mantem-obrigacao-de-planos-de-saude-ressarcirem-sus-por-tratamentos-de-clientes-na-rede-publica.ghtml